tecnologia09021723

‘Copa do Mundo’ dos drones é vencida por robô capaz de tocar obstáculos sem perder estabilidade

By Amy Thomson (Bloomberg Business) — Os drones, robôs voadores equipados com câmeras propensos a deixar cair metais e hélices no gramado da Casa Branca e sobre pedestres desavisados, estão ganhando uma reputação ruim.

"Copa do Mundo" dos drones é vencida por robô capaz de tocar obstáculos sem perder estabilidade
Foto Divulgação

No encontro Drones for Good, em Dubai, grupos de robótica do … mundo inteiro competiram por um prêmio de US$ 1 milhão e pela chance de recuperar a reputação da tecnologia. A vencedora do que os organizadores estão chamando de “Copa do Mundo” dos drones foi a Flyability SA, uma empresa suíça que fabrica um robô para sobrevoos chamado Gimball. Ele é capaz de tocar paredes para orientar seu caminho ao passar por barreiras e entre edifícios.

O design da Flyability foi inspirado pela forma em que os insetos se movem ao redor dos obstáculos, disse o cofundador Patrick Thevoz, 29. Uma gaiola de proteção em torno do motor e da câmera se movimenta de forma independente do resto da máquina, que pode, assim, bater sem perder estabilidade. O design também torna o drone mais seguro para ser usado perto das pessoas. Em um vídeo de demonstração no YouTube, a máquina da Flyability é mostrada tocando de leve a cabeça de um dos desenvolvedores.

“Alguns drones são realmente muito perigosos para os humanos e os humanos têm uma tendência a gostarem de drones”, disse Thevoz. As pessoas que não estão acostumadas a trabalhar com um drone “tendem a ir diretamente até ele”.

As equipes que competiram no evento tinham que demonstrar que sua tecnologia podia oferecer um serviço público em áreas como assistências de catástrofes, ajuda humanitária, logística e educação. Os protótipos de drones também tinham que ter um prazo de até três anos para estarem prontos para serem empregados. Os finalistas precisavam fazer uma demonstração ao vivo e fornecer um relatório técnico com detalhes como sistema operacional, monitoramento, fonte de energia e soluções propostas para assuntos de segurança ou regulatórios.

A Flyability, cujo drone pode ser usado para atividades de busca e resgate, já tem clientes na Europa que usam o robô para inspecionar o interior de navios de contêineres e partes difíceis de alcançar em edifícios. A empresa planeja usar o prêmio em dinheiro para ir da fase de protótipo para uma produção mais ampla, disse Thevoz.

Entre os demais finalistas estavam a Dronlife, da Espanha, cujo drone pode entregar órgãos para transplante, a BioCarbon Engineering, do Reino Unido, que fez um drone para o plantio de árvores, a Quantum, da Alemanha, com um robô que monitora condições de colheita, e a Skynet, uma equipe australiana cuja máquina entrega pacotes.

Fonte: UOL Notícias

Deixe uma resposta