robo_faxina

Robôs simplificam rotina de casas e empresas na região de Sorocaba

Equipamentos ajudam a carregar peso e transportar materiais.
Donas de casa também viram adeptas na hora da faxina.

Equipamentos ultramodernos, como os robôs, já se tornaram realidade em casas e empresas na região de Sorocaba (SP). As máquinas automatizadas podem substituir pessoas em determinados serviços, baratear os custos e otimizar tempo.

Em uma distribuidora de peças de Sorocaba, desde que um robô foi colocado em funcionamento, os funcionários deixaram de andar sete quilômetros todos os dias. Além disso, o equipamento carrega até 750 quilos e é programado para pegar a mercadoria e levá-la até o estoque.

Os funcionários gostaram da “mãozinha” que ganharam. “A tecnologia serve como um apoio ao funcionário. A questão de peso, de puxar grandes cargas e de auxiliar em processos mais automatizados onde a peça vem até o funcionário sempre em sinergia com a operação”, explica o gerente de logística Sérgio Cavalheiro.

Em uma loja da cidade os robôs são bastante procurados, mas, nesse caso, para ajudar na faxina do dia-a-dia, já que eles aspiram a poeira, limpam os vidros, cortam a grama e dão um trato na piscina. Eles são programados para trabalhar o tempo que for necessário e, depois voltam para recarregar a energia sozinha. “O pessoal tem buscado tecnologia para a praticidade do dia-a-dia, além de reduzir os custos com funcionários”, analisa Júlio Syllus, empresário.

Já em um restaurante o robô ainda não substitui o garçom, mas a tecnologia facilita a vida dele. Os cardápios da temakeria foram substituídos pelos tablets e os próprios clientes fazem os pedidos que vão direto para a cozinha. Só na hora da entrega é que o garçom entra em cena ou quando é chamado para tirar alguma dúvida do cliente. “Primeiro o garçom apresenta o cardápio, mas ele fica mais para servir os pratos”, conta a dona do restaurante Carolina Furuya.

A dona do restaurante acredita que a inovação ajudou muito os clientes e os funcionários. “Já tem o valor e não precisa ficar chamando o garçom a toda hora. Você faz o pedido e se quiser fazer alguma observação você escreve, manda para eles e já vem prontinho”, avalia o cliente Valmir Pacheco.

A ideia é pioneira na cidade, mas já está se tornando uma tendência. “É uma praticidade, comodidade e tranquilidade absurdas. Ele navega no tablet à vontade, vê as fotos com mais ênfase do que em um cardápio impresso. Tem toda a questão ambiental também que o estabelecimento não emite impressos e acaba trabalhando só com o digital”, Jefferson Rezende, desenvolvedor de aplicativos.

Fonte: Globo.com

Deixe uma resposta